Agende um teste grátis: insira suas informações e ligaremos para você!

    Causas da perda auditiva

    A perda auditiva afeta o dia a dia de diversas formas, e se não for tratada pode causar efeitos negativos na saúde física e mental do paciente, reduzindo a qualidade de vida. 

    Uma das diversas causas está relacionada à idade. É algo natural se tratando da questão do envelhecimento. Geralmente acomete os dois ouvidos e de forma gradual. 

    Outro fator que sucede é a falta de compreensão das palavras, que pode levar a constrangimentos recorrentes resultando na depressão e no isolamento social. 

    O ruído é outra condição comum. Aproximadamente 10% dos adultos têm perda auditiva devido à exposição a som alto, ruído no trabalho ou em atividades de lazer, manifestando-se de forma gradual ou repentina. 

    Há também motivos relacionados ao histórico familiar, podendo se manifestar no nascimento ou na velhice.

    triagem auditiva

    Existem casos relacionados aos pré-natais também, pois a deficiência auditiva deve ser diagnosticada nos primeiros meses de vida da criança. Normalmente, é realizada a Triagem Auditiva (TAN), ou ‘teste da orelhinha’ como procedimento para identificar a ausência de sons.  

    Por fim, o uso de certos tipos de medicamentos (conhecidos como ototóxicos), podem causar deficiência auditiva temporária e até mesmo permanente. 

    De acordo com a associação de perda auditiva americana, American Speech-Language-Hearing Association, existem em média 200 tipos de medicamentos (sob prescrição médica ou não), que se enquadram nessa situação. Dentre eles estão: antibióticos e medicamentos para tratamento de câncer, medicamentos diuréticos e até mesmo a aspirina.

    Sinais da perda auditiva

    • Dificuldade de ouvir em ambientes ruidosos, especialmente a voz feminina e de crianças;

    • Família ou amigos se queixam do volume alto da televisão;

    • Achar que as pessoas murmuram ou falam baixo, a ponto de pedir para que repitam a fala;

    • Dificuldade para ouvir sons comuns, como:  pássaros, a água da torneira, alarme, cafeteira, etc;

    • Isolamento social;

    • Dificuldade em ouvir uma conversa ao telefone.

    Efeitos da perda auditiva em nossa vida

    Memória

    Os adultos com perda auditiva desenvolvem uma deficiência significativa em suas capacidades (cognitivas 3,2 anos mais cedo do que aqueles com audição normal), e um declínio de até 40% maior em suas habilidades de pensamento: 

    • Não armazena as conversas;
    • Possui dificuldades de raciocínio;
    • Esquecimento de coisas importantes (Ex.: fogão, torneira, gás, portas abertas, etc.)

    Saúde mental

    A perda auditiva pode resultar em isolamento social. Adultos com perda auditiva não tratada tendem a deixar de se envolver com a família e os amigos, estando mais propensos à depressão, ansiedade, raiva e frustração, ficando menos dispostos a participar de atividades sociais. 

    • Isolamento por não ouvir as pessoas durante as conversas;
    • Depressão pelo isolamento;
    • Ansiedade;
    • Irritabilidade.

    Comunicação

    Pessoas com perda auditiva apresentam dificuldade para participar de conversas no dia a dia. Os diálogos em grupo podem ser prejudicados devido a vergonha de pedir para repetirem o que foi dito. 

    • Dificuldade para participar de conversas no seu dia a dia;
    • Limitações em conversas em grupo;
    • Necessidade que repitam o que foi falado de forma recorrente.

    Quedas

    Segundo estudos, o risco de queda está relacionado com a perda auditiva, pois o cérebro fica sobrecarregado para compensar a perda auditiva, prejudicando o cognitivo (responsável em processar a percepção, atenção e memória).

    • Tontura, quedas e fraturas;
    • Escorregar e cair por não ouvir alguém avisar que o chão está molhado;
    • Ser atropelado por não ouvir o carro passando;
    • Cair em casa sozinho sem ninguém próximo para socorrer.

    Demência

    Idosos com perda auditiva são significativamente mais propensos a desenvolver demência precoce.

    Os adultos com perda auditiva leve são duas vezes mais inclinados a desenvolver demência, três vezes mais com perda moderada e cinco vezes mais com perda severa. 

    • Desenvolvimento de demência precoce;
    • Aumento da dependência familiar;
    • Dificuldade em realizar atividades comuns.

    Zumbido

    90% das pessoas com zumbido também têm perda auditiva. As causas mais comuns do zumbido são: exposição ao ruído excessivo, envelhecimento, lesões na cabeça e efeitos colaterais de medicação. 

    • Segunda maior causa de suicídio no mundo;
    • Na maioria dos casos, o zumbido é acompanhado de perda auditiva;
    • Distúrbios de sono, ansiedade, estresse e até mesmo depressão. 

    Agende um teste grátis: insira suas informações e ligaremos para você!