NAO REMOVER
Qual é o preço de um aparelho auditivo?
A faixa de variação dos aparelhos auditivos é muito grande. Os preços dos aparelhos auditivos vão entre R$ 3,500 e R$ 14,000 R$.

Esse preço depende de fatores como estilo de vida, atividades da pessoa que usará o aparelho, características da perda auditiva, circuito do aparelho, nível de tecnologia incorporada, recursos, serviços, etc. É necessário agendar uma visita para que o fonoaudiólogo avalie sua audição e suas necessidades auditivas. Em seguida, juntos, vocês discutirão a melhor opção para o seu caso com a melhor relação custo-benefício.

O aparelho auditivo é um produto com muita tecnologia agregada. Dessa forma, o custo não pode ser comparável a outros produtos eletrônicos como um celular ou uma TV. Quando falamos destes produtos, comparamos produtos de “prateleira” que agrega pouco serviço pós-venda. Com os aparelhos auditivos, isso é diferente, pois eles são adaptados de acordo com as particularidades da sua perda auditiva. Graças a essa comparação, as pessoas podem ser seduzidas por empresas cujo apelo é o preço do produto e, assim, você pode achar que está fazendo um bom negócio. Para os clientes dessas empresas, o barato pode sair muito caro. No caso da compra de aparelhos auditivos, recomenda-se cautela, pois se trata de uma situação de saúde, na qual um produto confeccionado e ajustado para as suas individualidades, ou seja, ele requer acompanhamento e assistência. Ele requer um seguimento fonoaudiológico planejado e individualizado.

Não se esqueça que, além dos pontos citados acima, você deve considerar as formas de pagamento. A audiograma-laysom oferece pagamento em seis vezes, sem juros, no cartão ou doze vezes no boleto bancário.

Assim como na casa própria, você pode usar o seu FGTS para adquirir seus aparelhos auditivos (limitado a R$ 1.200,00 por aparelho).

Em relação à doação de aparelhos auditivos pelo do Sistema Único de Saúde (SUS), alguns serviços são destinados à doação. Entretanto, o processo para consegui-los é bastante demorado e burocrático. É necessário aguardar por uma consulta com o médico otorrinolaringologista do SUS e, então, esperar por outra consulta com o fonoaudiólogo do serviço de doação de aparelhos. Esses serviços oferecem aparelhos com menos recursos tecnológicos, pois dependem da verba pública para a compra destes itens. Como a verba é pequena, opta-se por comprar aparelhos mais básicos para atender ao maior número de pessoas possível. O tempo de espera pelos aparelhos auditivos pode chegar a mais de um ano na cidade de São Paulo.

O que é AASI?

AASI é a sigla para o nome técnico dos aparelhos auditivos: Aparelho de Amplificação Sonora Individual. Antigamente eram chamados de aparelhos para surdez ou aparelhos contra surdez. O aparelho auditivo é um conjunto eletrônico que, com a energia de uma pequena bateria, ajusta dinamicamente os sons (da fala e do ambiente) para as necessidades do usuário do aparelho. Os aparelhos mais avançados utilizam chips digitais e sistemas computacionais para fazer esses ajustes em “tempo real” com regras e algoritmos sofisticados para facilitar a compreensão do usuário.

Quanto tempo leva para se adaptar com os aparelhos?
Semanas ou meses, geralmente.

Depende de fatores como:

• idade
• tipo, grau e tempo da perda auditiva
• recursos do aparelho auditivo
• tempo de uso diário do aparelho auditivo
• processamento auditivo
• ambientes sonoros que frequenta

Todos esses fatores, somados, contribuem para a adaptação aos aparelhos auditivos. Se você é uma pessoa que aprende novas tarefas rapidamente e lida bem com mudanças, é provável que você se adapte mais rapidamente aos aparelhos auditivos. Se, ao contrário, você é mais resistente a mudanças e leva mais tempo para aprender novas tarefas, precisará de mais tempo para se adaptar.

Dificilmente, alguém consegue se adaptar aos aparelhos auditivos em alguns dias. A adaptação envolve reaprender a ouvir, dessa vez com aparelhos auditivos que aumentam o volume das coisas.

Quando você percebeu a sua dificuldade para ouvir, a sua perda auditiva já estava presente há algum tempo. Durante este período, seu cérebro foi “desaprendendo” a ouvir. Com os aparelhos auditivos, você iniciará um processo de aprendizagem auditiva novamente e isso leva algum tempo.

A persistência é a principal característica de quem se adapta aos aparelhos auditivos. Não importa quanto tempo vai demorar, desde que você perceba que suas queixas auditivas estão diminuindo dia após dia.

Tenho perda nos dois ouvidos, preciso usar dois aparelhos?
Indivíduos com deficiência auditiva bilateral ouvem melhor com dois aparelhos, da mesma forma que pessoas normais ouvem melhor com dois ouvidos.

Ouvir, escutar e compreender dependem do funcionamento adequado das duas orelhas. É claro que você poderia usar apenas um aparelho auditivo, mas seria o mesmo que enxergar com apenas um olho: você até consegue ver, mas há redução do campo de visão e da percepção de profundidade. Com um único aparelho, você não será capaz de perceber o som em todas as direções. Alguns sons, inclusive, você nem vai perceber.

Várias habilidades dependem da capacidade de se ouvir com as duas orelhas.

Entre elas, estão:
• Maior audibilidade, possibilitando melhor discriminação dos sons e da fala.
• Melhor qualidade sonora
• Menor distorção do som
• Sensação de equilíbrio sonoro
• Menor esforço para ouvir
• Mais facilidade para prestar atenção a sons
• Melhor detecção da direção do som (localização da fonte sonora)
Essas habilidades influenciam diretamente o seu dia a dia. A detecção da direção do som é importante em situações de comunicação e em situações de perigo iminente como detectar a direção de um carro que buzina para evitar um atropelamento.
Com dois aparelhos auditivos, você terá uma melhora compreensão de fala em situações ruidosas, pois será capaz de direcionar sua atenção para o som desejado com mais facilidade.

Com dois aparelhos auditivos, você ouvirá sons mais distantes, ampliando o raio de alcance da sua audição para um espaço mais próximo da audição normal.
Com dois aparelhos auditivos, você não precisará aumentar o volume deles indiscriminadamente.

Com menos volume, você terá mais conforto auditivo e maior tolerância para sons intensos. Além disso, você terá maior facilidade para perceber e reconhecer as palavras e as frases que as pessoas dizem.

Qual a expectativa de vida útil de um aparelho auditivo?
Normalmente, entre 3 e 5 anos, mas isso depende de aspectos como:

• Cuidados diários (limpeza e manuseio)
• Visitas frequentes ao fonoaudiólogo e seguimento das orientações adequadas
• Cumprimento das revisões técnicas semestrais

Todos os componentes dos aparelhos auditivos são eletrônicos e, por isso, estão sujeitos aos mesmos cuidados qualquer outro dispositivo eletrônico.

Deve-se evitar:

• Quedas
• Umidade excessiva e contato direto com a água (chuveiro, sauna, piscina)
• Mordida de animais
• Guardar os aparelhos com pilha
• Calor excessivo

Além disso, os novos aparelhos auditivos se atualizam na mesma velocidade que outros eletrônicos. Anualmente, os fabricantes de aparelhos auditivos melhoram os circuitos, os microfones, a conectividade e o design dos seus produtos. Isso faz com que aparelhos mais novos tenham mais recursos para oferecer um som mais natural e agradável a cada ano. A cinco anos atrás, por exemplo, não existiam aparelhos que se conectavam à internet ou ao telefone. Hoje, você pode responder chamadas, ouvir música e conectar-se a qualquer aplicativo do seu celular.

A qualidade do som também vem melhorando ano após ano. Os aparelhos de hoje oferecem um som muito mais limpo e agradável do que os aparelhos de cinco anos atrás.
É importante lembrar que, para obter o máximo dos seus aparelhos auditivos, eles devem ser revisados pela assistência técnica periodicamente. Por se tratar de equipamentos eletrônicos com peças minúsculas, há a possibilidade de dano a algum componente. Durante a garantia, essas revisões técnicas são baratas. Após o fim da garantia, os fabricantes passam a cobrar mais caro por aparelhos mais antigos até o momento em que comprar aparelhos novos seja mais vantajoso do que consertar os antigos.

Portanto, se você foi cuidadoso com seus aparelhos, segui as recomendações do fonoaudiólogo e do fabricante e compareceu às revisões técnicas programadas, seu aparelho pode durar até cinco anos. Se você não fez nada disso, você está perdendo a oportunidade de ouvir melhor e ter todos os benefícios de um aparelho auditivo que amplifica o som adequadamente.

OUÇO, MAS NÃO ENTENDO, ISSO É POSSÍVEL?
De fato, isto é possível acontecer. Pois, ouvir e entender estão relacionados, mas, não são a mesma coisa. Dizemos que o paciente apresenta baixa discriminação (compreensão). Neste caso, precisaria efetuar uma avaliação mais detalhada e específica. O  exame que detecta o grau desta dificuldade de compreensão é a logoaudiometria, que pode ser realizada em nossas lojas.
Tenho um exame antigo, será que serve?
A validade de um exame de audição é de, no máximo, 12 meses ou até quando a pessoa perceber qualquer alteração na audição. Porém, ao realizar um novo exame é importante levar os últimos exames para o acompanhamento da evolução.

 

Como é o exame de audição?
Existem alguns tipos de exames de audição. A escolha dependerá de cada caso e da idade do paciente. Os exames não provocam dor. Eles são realizados com equipamentos calibrados anualmente em ambientes acusticamente adequados e por fonoaudiólogos habilitados. O exame de audiometria, propriamente dito, leva de 15 a 30 minutos.

O aparelho auditivo tem garantia?
Sim, na Audiograma laysom o seu aparelho auditivo tem garantia, e, a assistência técnica é permanente para todas as marcas e modelos. A garantia varia, conforme marca e modelo, normalmente é de um ano. Mas, uma das mais importantes garantias é a confiança do bom acompanhamento e a satisfação do bom atendimento, sempre, e enquanto o aparelho existir, não apenas no período da garantia.

Como eu escolho o meu aparelho auditivo?
A escolha do aparelho auditivo depende de fatores como:

• o tipo e o grau da perda auditiva
• a anatomia da orelha e do conduto auditivo
• o estilo de vida
• o grau de dificuldade de compreensão de fala
• a exigência estética
• a acuidade visual
• a destreza manual
• as restrições médicas (infecções recorrentes, por exemplo)

Existem produtos cuja escolha depende apenas de exigências do comprador (celular, por exemplo). No caso dos aparelhos auditivos, a escolha depende de dois personagens: o usuário com sua família e a equipe técnica da empresa. A equipe técnica contem fonoaudiólogos responsáveis por selecionar algumas opções de aparelhos considerando aspectos clínicos explorados na entrevista (anamnese), exames e testes auditivos da primeira consulta. O usuário e sua família, além de considerarem fatores convencionais de qualquer produto, consideram também aspectos relacionados ao seu estilo de vida e a sua satisfação com o som oferecido pelos aparelhos auditivos.

O tipo de adaptação (aparelho atrás da orelha, aparelho dentro da orelha, etc) depende de critérios clínicos de indicação (grau e tipo da perda auditiva). Esses critérios levam em consideração a boa adaptação dos aparelhos e podem não corresponder às expectativas de se usar um aparelho auditivo.

Muitas pessoas pensam que o aparelho auditivo é grande, desconfortável e indiscreto, principalmente se for usado atrás da orelha, mas isso é coisa do passado. Atualmente, isso não é mais verdade. Quando você vir de perto os modelos atuais, você vai se apaixonar.

O que fazer se a pessoa tem resistência ao uso do aparelho?
É importante explicar para ela que a a perda auditiva não tratada tem consequências como:

• Acelera o surgimento de demências como o Alzheimer
• Piora da compreensão de fala
• Favorece o isolamento social
• Favorece o desenvolvimento de depressão
• Perda de memória
• Piora da atenção
• Piora o rendimento no trabalho
• Prejudica a interação com os familiares e amigos
• Aumenta a irritabilidade

Depois, diga a ela as vantagens de se usar os aparelhos:

• Diminui o risco de se desenvolver demência
• Melhora a compreensão de fala
• Favorece a interação social
• Previne a depressão
• Melhora a memória
• Melhora a atenção
• Aumenta o rendimento no trabalho
• Favorece a interação com familiares e amigos
• Diminui o cansaço e a irritabilidade

Se, ainda assim, a pessoa continuar resistente, não desista. Oriente a pessoa para buscar um profissional de saúde auditiva para testar aparelhos auditivos de modo que ela possa vivenciar essa experiência tão prazerosa que é ouvir.

Diga a ela que os aparelhos auditivos podem ser testados, em casa, sem compromisso de compra. Ela só tem que ir ao centro auditivo, fazer os exames de audição e, se quiser, poderá levar os aparelhos para experimentá-los por uma semana, testando-os em suas atividades diárias (trabalho, restaurantes, encontros de família, assistindo a TV, etc.)

Você também deve dizer a ela que a adaptação aos aparelhos auditivos não é um processo imediato. É preciso persistir no uso dos aparelhos para que o cérebro se acostume a “ouvir novamente” e isso pode levar algum tempo, dependendo de pessoa para pessoa.

Após a compra dos aparelhos, o processo de adaptação continua. Se a pessoa desistir, ela perderá todas as vantagens que os aparelhos auditivos podem oferecer.

Vou ficar com a audição normal, sem perda auditiva?
Parcialmente. Mesmo que muitos usuários considerem absolutamente indispensáveis, é fundamental entender que o aparelho auditivo é uma prótese e que como todas as próteses, têm limitações. Embora seja um produto que agrega muita tecnologia, e seja cada vez mais aperfeiçoado, ele não complementa totalmente a função auditiva natural.

O que é uma prótese? O aparelho auditivo é uma prótese?
Uma prótese é um produto ou engenho artificial que substitui uma função ou órgão do corpo humano em parte ou todo. E, uma órtese difere da prótese apenas pelo fato de ela não substituir, mas de complementar ou corrigir uma função ou órgão que perde parte da capacidade. Portanto, a rigor, a classificação correta do aparelho auditivo seria como órtese. Note que a dentadura é uma prótese; e os óculos são uma órtese, como os aparelhos auditivos que “auxiliam” a audição. Como a palavra órtese é pouco popular, tomou-se a palavra prótese para os aparelhos auditivos, que é mais conhecida. E, assim, em qualquer meio, mesmo nos meios médicos e da fonoaudiologia, utiliza-se o termo prótese.

O meu pai não ouve bem, será que eu também vou ter perda auditiva?
A perda auditiva pode ter várias causas. A hereditariedade é um fator potencial, mas nem sempre ocorre. Caso perceba que está sentindo qualquer dificuldade de audição, procure um médico especialista, otorrinolaringologista.

Se adiar mais uns meses ou anos o meu exame de audição, tem algum problema?
Os efeitos são diferentes para pessoas diferentes. Contudo, os problemas de saúde quando diagnosticados e tratados precocemente, têm tratamentos mais eficientes. E, no caso de necessitar de aparelho auditivo, perde-se muita coisa – a principal é a manutenção do estímulo ao sistema auditivo – que faz a compreensão deteriorar muito mais rápido. Além disso, muitos estudos apontam outros prejuízos provocados pela falta de audição; as principais são ligadas à mente, como depressão e o Alzheimer.

Preciso de aparelho para dirigir?
Se no exame de audição da habilitação for constatado que a pessoa tem deficiência auditiva, então, legalmente, será obrigatório o uso de aparelho auditivo, da mesma forma que os óculos. Entretanto, mesmo que na CNH (carteira de motorista) não conste a obrigatoriedade, é interessante observar que na direção de um veículo, o som é um importante sinal de controle. Quem tem audição normal nem se lembra disso.

Quais as condições de pagamento que a audiograma Laysom tem?
São diversas formas de pagamento, entre elas pagamento à vista, parcelamento no cheque ou no cartão de crédito e financiamento Santander (sujeito a aprovação). A Audiograma Laysom sempre têm encontrado uma solução adequada para quase todos os casos, tanto tecnicamente quanto financeiramente. Temos as melhores soluções a um preço honesto e muito competitivo.

Posso deduzir o valor dos aparelhos auditivos no Imposto de Renda?
Os aparelhos auditivos podem ser declarados no Imposto de Renda de pessoa física ou jurídica (declaração de IR: IRPF ou IRPJ). Neste aspecto, é semelhante a outros produtos como celular ou televisor. Entretanto, só é possível deduzí-los como despesa médica se for parte integrante de procedimentos de uma internação hospitalar. Caso contrário, ela deve entrar simplesmente como uma despesa. Os aparelhos auditivos são equiparados, pela Receita Federal, às lentes e os óculos – que também não podem ser deduzidos como despesas médicas. Caso você lance como uma despesa médica, o “leão” poderá pegar o erro e cobrará a diferença com multa. Independentemente de ser dedutível ou não, é importante que a empresa forneça a Nota Fiscal do produto que você está adquirindo. E, esta nota fiscal deve ser da empresa de onde você está comprando, não de terceiros, de outra cidade ou até outro estado.

Porque a Audiograma Laysom trabalha com vários de modelos de aparelho?
Essa é uma característica permanente da Audiograma Laysom. A empresa recebe de fabricantes da América do Norte (USA), Europa (Alemanha, Suíça e Inglaterra) e Japão. Esta abordagem tem gerado resultados muito relevantes aos usuários. Primeiro: Nenhum fabricante consegue ter competitividade aliado a qualidade para todos os casos de perda auditiva. E, segundo, nenhuma empresa no mundo consegue desenvolver os seus produtos para ser o melhor em todos os tipos de perda auditiva. Na medida em que a Audiograma Laysom trabalha com os fabricantes mais importantes do planeta, ela consegue o melhor de cada fabricante a um valor mais competitivo. Se a empresa tem uma lista restrita de alguns modelos, a empresa pode ser obrigada a “forçar” o seu caso para o aparelho “mais próximo” e a um custo nem sempre interessante. Na questão de variedade, é importante a empresa ter esta variedade disponível.

Ser digital é garantia de boa qualidade?

Não. Atualmente quase todos os aparelhos são de circuitos digitais. Algumas empresas sem estrutura, passaram a ressaltar orgulhosamente que trabalham apenas com aparelhos “digitais”; como se esse fato bastasse para identificar um bom aparelho. Atualmente, existe uma infinidade de aparelhos digitais, que vão desde os mais simples, com menos recursos que alguns analógicos, até os aparelhos extremamente sofisticados. O tipo de circuito é apenas uma das características.

O que é um Centro Auditivo?
É a empresa especializada e dedicada ao usuário de aparelho auditivo. Normalmente, elas têm uma estrutura mais completa, atua no atendimento de usuários de aparelhos auditivos.

Como são as baterias para os aparelhos auditivos?
Primeiro: As baterias, ou pilhas, são muito pequenas e parecidas com as baterias de relógios. Mas, é importante não experimentar baterias que não são as do tipo Zinco-Ar (Zinc-Air) e específicas para aparelhos auditivos. Ainda existem baterias para aparelhos auditivos de mercúrio, entretanto, estas não são recomendadas e ainda são perigosas ao ser humano e poluem o meio ambiente. Os códigos das pilhas (e as cores características p/facilitar a memorização) específicas para aparelhos auditivos são em ordem decrescente de tamanho: 675 (azul), 13 (laranja), 312 (marrom) e 10 ou 230 (amarelo).

Segundo: Estas pilhas não se acham em supermercado. É recomendado adquirir as pilhas ou baterias em lojas especializadas de pilhas ou em empresas de aparelho auditivo. É importante o usuário não utilizar pilhas “equivalentes”. Pois, existem pilhas que cabem no compartimento; mas, podem danificar o aparelho. Este tipo de problema causado por pilhas inadequadas provoca a perda da garantia. Em casos mais graves, como de vazamento, pode haver a completa inutilização do aparelho. Cliente da Audiograma Laysom pode participar do Programa de Pilhas, como Cliente Especial, com descontos nas pilhas.  Existe, também, a questão da qualidade, prefira sempre pilhas de primeira linha: o aparelho auditivo é muito caro para se colocar nele pilhas de “segunda categoria”. Pilha tem validade, não se esqueça de ver isto.

Terceiro: As pilhas Zinco-Ar não agridem a natureza. Portanto, podem ser descartadas em lixo comum, não reciclável. Existem pilhas de mercúrio, para aparelhos, mas são proibidas no país.

Posso comprar e devolver se não gostar?
O Código de Defesa do Consumidor estabelece que, em até sete dias do recebimento, você pode devolver qualquer produto que tenha comprado virtualmente, sem estar presente em loja física. Mas, se você compra qualquer produto em uma loja física, está loja ou a rede de lojas pode aceitar troca – mas, não devolve o valor de um produto bom. Pois, se o produto estiver com defeito de fábrica, a loja ou o fabricante dará assistência de garantia.

Tem empresa oferecendo desconto de mais de 50%. Como considerar isto?
Desconto é bem visto por todos para quase tudo. Mas, quando excessivo, pode ser indício de alto risco. No caso de aparelho auditivo, pode-se suspeitar que a empresa trabalha com aparelhos usados ou sem registro na ANVISA ou trabalha com algum formato ilegal de trabalho. Apenas um técnico, em laboratório, consegue constatar se o aparelho é usado. Aparelho usado não tem garantia real e pode não ser adequado para a pessoa. Como em qualquer mercado, não existe milagre de dar, permanentemente, descontos muito maiores que os da concorrência. Se não tiver alguma “surpresa”, o super-desconto pode ser ilusório. Neste caso, você estaria se deparando com outro problema: a propaganda enganosa.

Tem mais de um tipo de teste com os aparelhos auditivos?
Sim. Existe o teste feito logo após os exames. Este permite avaliar e ajustar mais apuradamente as indicações dos exames. Ele serve para o usuário avaliar o benefício, a adequação e o gosto do modelo e sonoridade. Mas, também serve para confirmar, ao usuário e ao fonoaudiólogo, a necessidade ou não do segundo tipo de teste: o domiciliar. Principalmente se os exames apontarem para essa necessidade. Ou seja, se o benefício e a adaptação forem duvidosos, o teste de avaliação na empresa deve apontar a necessidade ou não de um teste domiciliar.

Depois de comprar o aparelho, vou precisar voltar à empresa em que comprei?
Sim. As regulagens devem ser feitas principalmente na fase de adaptação do usuário. O ajuste inicial é baseado principalmente nos exames. E, as necessidades e as sensibilidades mudam com a experiência do uso. Os ajustes visam adequar o aparelho de acordo com as preferências e necessidades cotidianas do usuário, que vai incorporando a prótese. A audição, também, tem alguma flutuação e pode mudar com o tempo, assim como os graus dos olhos que podem mudar com o tempo. A Audiograma Laysom oferece, além do acompanhamento e assistência permanente, um programa de saúde auditiva e descontos para pilhas. Essa abordagem visa à atenção da empresa para com a pós-vendas.

Quais os cuidados que devo ter com os aparelhos auditivos?
Como qualquer equipamento eletrônico, o aparelho auditivo requer cuidados com umidade, campos magnéticos fortes, impactos e calor. Além disso, cuidados básicos como limpeza externa, manuseio adequado e revisões periódicas garantem o bom funcionamento e maior durabilidade. Pelo menos a cada seis meses, leve o aparelho para uma limpeza e verificação na sua empresa de aparelhos auditivos.

Se uma empresa oferecer aparelho bem mais barato, no que devo prestar mais atenção?
Verifique se a empresa tem tradição no mercado, se oferece assistência pós-venda gratuita e se ela não trabalha com aparelhos usados (faz promoções de troca de aparelho novo por usado). Esse tipo de empresa não oferece serviço de manutenção completa ou limita e cobra muito caro. A falta de acompanhamento após a compra pode prejudicar a adaptação do usuário ao aparelho, fazendo o famoso “barato que sai caro”.

Quais as queixas mais frequentes dos usuários de aparelhos auditivos?
Algumas pessoas se acostumam com os ruídos do ambiente, após muitos anos com perda auditiva. Reclamações devido aos ruídos são comuns principalmente no começo, porém, com o tempo, o cérebro é capaz de entender os sons secundários e ignorá-los. Outras dificuldades enfrentadas por alguns usuários são: o manuseio, o encaixe no ouvido, a microfonia e a estética. A adaptação ao aparelho exige paciência do usuário e de familiares.

Por que as pessoas não gostam de usar os aparelhos auditivos?
Por razões estéticas, por falta de paciência para passar pelo processo de adaptação e por preconceito próprio ou por medo do preconceito social. Usar um aparelho com expectativas irreais também pode se tornar um fator de rejeição.

Preciso entender de especificações dos aparelhos auditivos para fazer uma boa escolha?
Não, mas é importante que exista uma relação de confiança entre o paciente e o fonoaudiólogo, pois ele indicará os modelos mais adequados de acordo com o grau de perda, o estilo de vida e as preocupações estéticas e financeiras do paciente. Mas, isso tudo faz sentido, apenas, se a empresa for confiável.

Tenho muitas opções de empresas, como faço uma boa escolha?
A confiança que a empresa passa é fundamental para uma boa compra. Tradição no ramo, qualidade dos produtos, atendimento (pré e pós-venda) e qualificação dos funcionários também são fatores importantes para escolher uma empresa.  Evite preços muito abaixo do mercado com descontos apelativos ou os tipos “o menor preço do mercado”. Leia muito a respeito, visite os locais de atendimento e esclareça suas dúvidas pessoalmente para conhecer bem a empresa.

Como funciona a parte da Vigilância Sanitária e ANVISA para os aparelhos auditivos?
O local físico de onde você pode comprar deve ser uma empresa preparada para os aparelhos auditivos. Deve estar registrado na Vigilância Sanitária e ter o Alvará de Funcionamento para poder operar nesta atividade específica. A Vigilância Sanitária é um órgão da esfera municipal, que trabalha com as diretrizes da ANVISA (Federal). Além disso, os aparelhos auditivos que a empresa ou profissional vende precisam ter registro na ANVISA, como todo produto de saúde.

Como posso me garantir na questão de confiança na empresa?
Hoje em dia, existe meios para saber como funciona este mercado para verificar a confiança da empresa. A começar pelos registros de reclamações em órgãos como o PROCON e sites como www.reclameaqui.com.br. Verifique a proporcionalidade das reclamações com o porte e o tempo de existência da empresa. A empresa precisa ter instalações específicas para operar com aparelhos auditivos. A empresa, e o local, precisa ter licença da Vigilância Sanitária para funcionar com aparelhos auditivos. Peça para mostrar a licença, se não tiver afixado. Não raro, empresas nesta área “desaparecem” com certa facilidade. Como a assistência é muito importante, procure empresas bem estruturadas de pelo menos uma década de fundação; e, não aquelas com “experiência” de muitos anos, mas com a empresa aberta há poucos anos. Procure separar o que é virtual do que é real; pois, a Internet pode induzir a equívocos. Veja uma nota fiscal: a empresa precisa ter o endereço do local onde você recebe o aparelho, caso contrário você estará comprando de uma empresa “fantasma” ou de um vendedor autônomo (tipo independente ou ambulante, principalmente se o atendimento é feito apenas por uma pessoa). A coisa mais errada para se ter confiança em uma empresa é se arriscar naquela empresa apelativa, milagrosa; independentemente de ter ou não algum registro de reclamação no mercado.

O aparelho auditivo tem garantia?
Sim, na Audiograma laysom o seu aparelho auditivo tem garantia, e, a assistência técnica é permanente para todas as marcas e modelos. A garantia varia, conforme marca e modelo, normalmente é de um ano. Mas, uma das mais importantes garantias é a confiança do bom acompanhamento e a satisfação do bom atendimento, sempre, e enquanto o aparelho existir, não apenas no período da garantia.

POSSO TOMAR BANHO COM O APARELHO AUDITIVO?
A grande maioria dos aparelhos auditivos não são a prova d’água, caso o seu não seja ele não deve ser molhado como a maioria dos objetos eletrônicos, ele possui circuitos eletrônicos que podem ser danificados com o contato direto a água.

 

DEFEITOS QUE PODEM OCORRER AO MOLHAR O APARELHO AUDITIVO

  • Entrar em curto-circuito e dar perda total no aparelho.
  • Mau contato (ligar somente as vezes).
  • oxidar suporte da pilha.

O QUE FAZER CASO TENHA MOLHADO?

  1. Desligue seu aparelho imediatamente.
  2. Remova a bateria e seque-o cuidadosamente com um pano seco.
  3. Pegue um copo com arroz cru e coloque o aparelho dentro.
  4. Deixe secar por 24 horas, não utilize secador ou aquecedor, isso pode danificar o circuito eletrônico.

NAO REMOVER
Qual é o preço de um aparelho auditivo?
Depende de vários fatores como: o grau de perda auditiva, apresentação (tipo, forma e tamanho), circuito, nível de tecnologia incorporada, recursos, serviços, etc. A faixa de variação dos aparelhos auditivos é muito grande. O aparelho auditivo é um produto com muita tecnologia agregada; mas, não é um produto de massa, o que impede que o custo seja comparável aos produtos eletrônicos domésticos como um celular, por exemplo. Um aparelho auditivo está em um faixa de preços próximos dos televisores grandes e de TV com novas tecnologias. Entretanto, a comparação está longe de ser razoável. Aí estamos comparando um produto de comércio de “prateleira” (que agrega pouco serviço pós-vendas da loja) com uma prótese (personalizada) onde o produto é apenas parte do custo. Pessoas leigas podem ser seduzidas por empresas que apelam por preço e pode achar que está fazendo um bom negócio. O resultado mais comum, para os clientes destas empresas, é o barato que sai caro. Mas, recomenda-se cautela, dado que você está tratando com um produto confeccionado e ajustado individualmente, que requer acompanhamento e assistência, têm desgaste e trata-se de saúde.
O que é AASI?
AASI é a sigla para o nome técnico dos aparelhos auditivos: Aparelho de Amplificação Sonora Individual. Antigamente eram chamados de aparelhos para surdez ou aparelhos contra surdez. O aparelho auditivo é um conjunto eletrônico que, com a energia de uma pequena bateria, ajusta dinamicamente os sons (da fala e do ambiente) para as necessidades do usuário do aparelho. Os aparelhos mais avançados utilizam chips digitais e sistemas computacionais para fazer esses ajustes em “tempo real” com regras e algoritmos sofisticados para facilitar a compreensão do usuário.
Quanto tempo leva para se adaptar com os aparelhos?
Pode ser imediato. Mas, pode-se levar um tempo para a adaptação. Cada pessoa possui um conjunto de características que afetam o tempo da adaptação. Por exemplo: idade, grau e tipo de perda auditiva, tipo de ambiente que frequenta, conscientização do problema, aceitação pessoal e familiar, recursos do aparelho, necessidades pessoais, expectativas, etc. Os resultados positivos ocorrerão, sobretudo, com a força de vontade e determinação do usuário e, também, com o apoio da família.
Tenho perda nos dois ouvidos, preciso usar dois aparelhos?
Indivíduos com deficiência auditiva bilateral geralmente ouvem melhor com dois aparelhos, da mesma forma que as pessoas normais ouvem melhor com os dois ouvidos. Mas, existem exceções. O fonoaudiólogo pode avaliar a melhor opção para cada caso.
Qual a expectativa de vida útil de um aparelho auditivo?
Em média, de três a cinco anos. Porém este prazo é bastante elástico. Há casos de durar menos de dois anos, como há casos de durar dez anos. Pode ser maior ou menor de acordo com os cuidados do usuário, tanto no aspecto de limpeza e manuseio quanto no aspecto de realizar revisões periódicas.
OUÇO, MAS NÃO ENTENDO, ISSO É POSSÍVEL?
De fato, isto é possível acontecer. Pois, ouvir e entender estão relacionados, mas, não são a mesma coisa. Dizemos que o paciente apresenta baixa discriminação (compreensão). Neste caso, precisaria efetuar uma avaliação mais detalhada e específica. O  exame que detecta o grau desta dificuldade de compreensão é a logoaudiometria, que pode ser realizada em nossas lojas.
Tenho um exame antigo, será que serve?
A validade de um exame de audição é de, no máximo, 12 meses ou até quando a pessoa perceber qualquer alteração na audição. Porém, ao realizar um novo exame é importante levar os últimos exames para o acompanhamento da evolução.

 

Como é o exame de audição?
Existem alguns tipos de exames de audição. A escolha dependerá de cada caso e da idade do paciente. Os exames não provocam dor. Eles são realizados com equipamentos calibrados anualmente em ambientes acusticamente adequados e por fonoaudiólogos habilitados. O exame de audiometria, propriamente dito, leva de 15 a 30 minutos.

O aparelho auditivo tem garantia?
Sim, na Audiograma laysom o seu aparelho auditivo tem garantia, e, a assistência técnica é permanente para todas as marcas e modelos. A garantia varia, conforme marca e modelo, normalmente é de um ano. Mas, uma das mais importantes garantias é a confiança do bom acompanhamento e a satisfação do bom atendimento, sempre, e enquanto o aparelho existir, não apenas no período da garantia.

Como eu escolho o meu aparelho auditivo?
A escolha dependerá de vários fatores. Deve-se levar em consideração o grau da perda auditiva, o perfil (gráfico) da perda auditiva, a anatomia do conduto auditivo, a presença de infecções de ouvidos recorrentes, a destreza manual, acuidade visual, sensibilidade do usuário, preferência estética, tipos de recursos desejados, etc. Existem produtos que a escolha é apenas do comprador. Mas, no caso de aparelhos auditivos, a escolha tem duas partes. De um lado o usuário e familiares – e, do outro a equipe técnica da empresa. Pela parte técnica, os fonoaudiólogos selecionam algumas possibilidades de aparelhos para a pessoa, considerando-se fatores da anamnese (entrevista), dos exames e testes. Pelo lado do usuário, além de considerar os fatores normais de qualquer produto, ele considera também os aspectos da adequação dos recursos em relação ao seu estilo, satisfação com o som, etc.

O que fazer se a pessoa tem resistência ao uso do aparelho?
Importante explicar à pessoa sobre a perda auditiva e suas consequências. Além disso, é importante orientá-la sobre as vantagens do uso de aparelho, encaminhando a pessoa a um profissional da saúde auditiva para testar os aparelhos para entender e perceber a quantidade de sons que ela está deixando de ouvir e que pode interferir até na auto-estima, além de prejudicar na vida social e profissional. Em todas as etapas desse processo, é fundamental a participação dos familiares. Os pacientes com rebaixamento auditivo têm motivos variados para resistir ao uso das próteses. Mas, podemos abordar de muitas formas. É bastante comum, também, a pessoa ter algum “bloqueio” devido a uma ideia pré-concebida a respeito do uso de aparelhos.

Vou ficar com a audição normal, sem perda auditiva?
Parcialmente. Mesmo que muitos usuários considerem absolutamente indispensáveis, é fundamental entender que o aparelho auditivo é uma prótese e que como todas as próteses, têm limitações. Embora seja um produto que agrega muita tecnologia, e seja cada vez mais aperfeiçoado, ele não complementa totalmente a função auditiva natural.

O que é uma prótese? O aparelho auditivo é uma prótese?
Uma prótese é um produto ou engenho artificial que substitui uma função ou órgão do corpo humano em parte ou todo. E, uma órtese difere da prótese apenas pelo fato de ela não substituir, mas de complementar ou corrigir uma função ou órgão que perde parte da capacidade. Portanto, a rigor, a classificação correta do aparelho auditivo seria como órtese. Note que a dentadura é uma prótese; e os óculos são uma órtese, como os aparelhos auditivos que “auxiliam” a audição. Como a palavra órtese é pouco popular, tomou-se a palavra prótese para os aparelhos auditivos, que é mais conhecida. E, assim, em qualquer meio, mesmo nos meios médicos e da fonoaudiologia, utiliza-se o termo prótese.

O meu pai não ouve bem, será que eu também vou ter perda auditiva?
A perda auditiva pode ter várias causas. A hereditariedade é um fator potencial, mas nem sempre ocorre. Caso perceba que está sentindo qualquer dificuldade de audição, procure um médico especialista, otorrinolaringologista.

Se adiar mais uns meses ou anos o meu exame de audição, tem algum problema?
Os efeitos são diferentes para pessoas diferentes. Contudo, os problemas de saúde quando diagnosticados e tratados precocemente, têm tratamentos mais eficientes. E, no caso de necessitar de aparelho auditivo, perde-se muita coisa – a principal é a manutenção do estímulo ao sistema auditivo – que faz a compreensão deteriorar muito mais rápido. Além disso, muitos estudos apontam outros prejuízos provocados pela falta de audição; as principais são ligadas à mente, como depressão e o Alzheimer.

Preciso de aparelho para dirigir?
Se no exame de audição da habilitação for constatado que a pessoa tem deficiência auditiva, então, legalmente, será obrigatório o uso de aparelho auditivo, da mesma forma que os óculos. Entretanto, mesmo que na CNH (carteira de motorista) não conste a obrigatoriedade, é interessante observar que na direção de um veículo, o som é um importante sinal de controle. Quem tem audição normal nem se lembra disso.

Quais as condições de pagamento que a audiograma Laysom tem?
São diversas formas de pagamento, entre elas pagamento à vista, parcelamento no cheque ou no cartão de crédito e financiamento Santander (sujeito a aprovação). A Audiograma Laysom sempre têm encontrado uma solução adequada para quase todos os casos, tanto tecnicamente quanto financeiramente. Temos as melhores soluções a um preço honesto e muito competitivo.

Posso deduzir o valor dos aparelhos auditivos no Imposto de Renda?
Os aparelhos auditivos podem ser declarados no Imposto de Renda de pessoa física ou jurídica (declaração de IR: IRPF ou IRPJ). Neste aspecto, é semelhante a outros produtos como celular ou televisor. Entretanto, só é possível deduzí-los como despesa médica se for parte integrante de procedimentos de uma internação hospitalar. Caso contrário, ela deve entrar simplesmente como uma despesa. Os aparelhos auditivos são equiparados, pela Receita Federal, às lentes e os óculos – que também não podem ser deduzidos como despesas médicas. Caso você lance como uma despesa médica, o “leão” poderá pegar o erro e cobrará a diferença com multa. Independentemente de ser dedutível ou não, é importante que a empresa forneça a Nota Fiscal do produto que você está adquirindo. E, esta nota fiscal deve ser da empresa de onde você está comprando, não de terceiros, de outra cidade ou até outro estado.

Porque a Audiograma Laysom trabalha com vários de modelos de aparelho?
Essa é uma característica permanente da Audiograma Laysom. A empresa recebe de fabricantes da América do Norte (USA), Europa (Alemanha, Suíça e Inglaterra) e Japão. Esta abordagem tem gerado resultados muito relevantes aos usuários. Primeiro: Nenhum fabricante consegue ter competitividade aliado a qualidade para todos os casos de perda auditiva. E, segundo, nenhuma empresa no mundo consegue desenvolver os seus produtos para ser o melhor em todos os tipos de perda auditiva. Na medida em que a Audiograma Laysom trabalha com os fabricantes mais importantes do planeta, ela consegue o melhor de cada fabricante a um valor mais competitivo. Se a empresa tem uma lista restrita de alguns modelos, a empresa pode ser obrigada a “forçar” o seu caso para o aparelho “mais próximo” e a um custo nem sempre interessante. Na questão de variedade, é importante a empresa ter esta variedade disponível.

Ser digital é garantia de boa qualidade?

Não. Atualmente quase todos os aparelhos são de circuitos digitais. Algumas empresas sem estrutura, passaram a ressaltar orgulhosamente que trabalham apenas com aparelhos “digitais”; como se esse fato bastasse para identificar um bom aparelho. Atualmente, existe uma infinidade de aparelhos digitais, que vão desde os mais simples, com menos recursos que alguns analógicos, até os aparelhos extremamente sofisticados. O tipo de circuito é apenas uma das características.

O que é um Centro Auditivo?
É a empresa especializada e dedicada ao usuário de aparelho auditivo. Normalmente, elas têm uma estrutura mais completa, atua no atendimento de usuários de aparelhos auditivos.

Como são as baterias para os aparelhos auditivos?
Primeiro: As baterias, ou pilhas, são muito pequenas e parecidas com as baterias de relógios. Mas, é importante não experimentar baterias que não são as do tipo Zinco-Ar (Zinc-Air) e específicas para aparelhos auditivos. Ainda existem baterias para aparelhos auditivos de mercúrio, entretanto, estas não são recomendadas e ainda são perigosas ao ser humano e poluem o meio ambiente. Os códigos das pilhas (e as cores características p/facilitar a memorização) específicas para aparelhos auditivos são em ordem decrescente de tamanho: 675 (azul), 13 (laranja), 312 (marrom) e 10 ou 230 (amarelo).

Segundo: Estas pilhas não se acham em supermercado. É recomendado adquirir as pilhas ou baterias em lojas especializadas de pilhas ou em empresas de aparelho auditivo. É importante o usuário não utilizar pilhas “equivalentes”. Pois, existem pilhas que cabem no compartimento; mas, podem danificar o aparelho. Este tipo de problema causado por pilhas inadequadas provoca a perda da garantia. Em casos mais graves, como de vazamento, pode haver a completa inutilização do aparelho. Cliente da Audiograma Laysom pode participar do Programa de Pilhas, como Cliente Especial, com descontos nas pilhas.  Existe, também, a questão da qualidade, prefira sempre pilhas de primeira linha: o aparelho auditivo é muito caro para se colocar nele pilhas de “segunda categoria”. Pilha tem validade, não se esqueça de ver isto.

Terceiro: As pilhas Zinco-Ar não agridem a natureza. Portanto, podem ser descartadas em lixo comum, não reciclável. Existem pilhas de mercúrio, para aparelhos, mas são proibidas no país.

Posso comprar e devolver se não gostar?
O Código de Defesa do Consumidor estabelece que, em até sete dias do recebimento, você pode devolver qualquer produto que tenha comprado virtualmente, sem estar presente em loja física. Mas, se você compra qualquer produto em uma loja física, está loja ou a rede de lojas pode aceitar troca – mas, não devolve o valor de um produto bom. Pois, se o produto estiver com defeito de fábrica, a loja ou o fabricante dará assistência de garantia.

Tem empresa oferecendo desconto de mais de 50%. Como considerar isto?
Desconto é bem visto por todos para quase tudo. Mas, quando excessivo, pode ser indício de alto risco. No caso de aparelho auditivo, pode-se suspeitar que a empresa trabalha com aparelhos usados ou sem registro na ANVISA ou trabalha com algum formato ilegal de trabalho. Apenas um técnico, em laboratório, consegue constatar se o aparelho é usado. Aparelho usado não tem garantia real e pode não ser adequado para a pessoa. Como em qualquer mercado, não existe milagre de dar, permanentemente, descontos muito maiores que os da concorrência. Se não tiver alguma “surpresa”, o super-desconto pode ser ilusório. Neste caso, você estaria se deparando com outro problema: a propaganda enganosa.

Tem mais de um tipo de teste com os aparelhos auditivos?
Sim. Existe o teste feito logo após os exames. Este permite avaliar e ajustar mais apuradamente as indicações dos exames. Ele serve para o usuário avaliar o benefício, a adequação e o gosto do modelo e sonoridade. Mas, também serve para confirmar, ao usuário e ao fonoaudiólogo, a necessidade ou não do segundo tipo de teste: o domiciliar. Principalmente se os exames apontarem para essa necessidade. Ou seja, se o benefício e a adaptação forem duvidosos, o teste de avaliação na empresa deve apontar a necessidade ou não de um teste domiciliar.

Depois de comprar o aparelho, vou precisar voltar à empresa em que comprei?
Sim. As regulagens devem ser feitas principalmente na fase de adaptação do usuário. O ajuste inicial é baseado principalmente nos exames. E, as necessidades e as sensibilidades mudam com a experiência do uso. Os ajustes visam adequar o aparelho de acordo com as preferências e necessidades cotidianas do usuário, que vai incorporando a prótese. A audição, também, tem alguma flutuação e pode mudar com o tempo, assim como os graus dos olhos que podem mudar com o tempo. A Audiograma Laysom oferece, além do acompanhamento e assistência permanente, um programa de saúde auditiva e descontos para pilhas. Essa abordagem visa à atenção da empresa para com a pós-vendas.

Quais os cuidados que devo ter com os aparelhos auditivos?
Como qualquer equipamento eletrônico, o aparelho auditivo requer cuidados com umidade, campos magnéticos fortes, impactos e calor. Além disso, cuidados básicos como limpeza externa, manuseio adequado e revisões periódicas garantem o bom funcionamento e maior durabilidade. Pelo menos a cada seis meses, leve o aparelho para uma limpeza e verificação na sua empresa de aparelhos auditivos.

Se uma empresa oferecer aparelho bem mais barato, no que devo prestar mais atenção?
Verifique se a empresa tem tradição no mercado, se oferece assistência pós-venda gratuita e se ela não trabalha com aparelhos usados (faz promoções de troca de aparelho novo por usado). Esse tipo de empresa não oferece serviço de manutenção completa ou limita e cobra muito caro. A falta de acompanhamento após a compra pode prejudicar a adaptação do usuário ao aparelho, fazendo o famoso “barato que sai caro”.

Quais as queixas mais frequentes dos usuários de aparelhos auditivos?
Algumas pessoas se acostumam com os ruídos do ambiente, após muitos anos com perda auditiva. Reclamações devido aos ruídos são comuns principalmente no começo, porém, com o tempo, o cérebro é capaz de entender os sons secundários e ignorá-los. Outras dificuldades enfrentadas por alguns usuários são: o manuseio, o encaixe no ouvido, a microfonia e a estética. A adaptação ao aparelho exige paciência do usuário e de familiares.

Por que as pessoas não gostam de usar os aparelhos auditivos?
Por razões estéticas, por falta de paciência para passar pelo processo de adaptação e por preconceito próprio ou por medo do preconceito social. Usar um aparelho com expectativas irreais também pode se tornar um fator de rejeição.

Preciso entender de especificações dos aparelhos auditivos para fazer uma boa escolha?
Não, mas é importante que exista uma relação de confiança entre o paciente e o fonoaudiólogo, pois ele indicará os modelos mais adequados de acordo com o grau de perda, o estilo de vida e as preocupações estéticas e financeiras do paciente. Mas, isso tudo faz sentido, apenas, se a empresa for confiável.

Tenho muitas opções de empresas, como faço uma boa escolha?
A confiança que a empresa passa é fundamental para uma boa compra. Tradição no ramo, qualidade dos produtos, atendimento (pré e pós-venda) e qualificação dos funcionários também são fatores importantes para escolher uma empresa.  Evite preços muito abaixo do mercado com descontos apelativos ou os tipos “o menor preço do mercado”. Leia muito a respeito, visite os locais de atendimento e esclareça suas dúvidas pessoalmente para conhecer bem a empresa.

Como funciona a parte da Vigilância Sanitária e ANVISA para os aparelhos auditivos?
O local físico de onde você pode comprar deve ser uma empresa preparada para os aparelhos auditivos. Deve estar registrado na Vigilância Sanitária e ter o Alvará de Funcionamento para poder operar nesta atividade específica. A Vigilância Sanitária é um órgão da esfera municipal, que trabalha com as diretrizes da ANVISA (Federal). Além disso, os aparelhos auditivos que a empresa ou profissional vende precisam ter registro na ANVISA, como todo produto de saúde.

Como posso me garantir na questão de confiança na empresa?
Hoje em dia, existe meios para saber como funciona este mercado para verificar a confiança da empresa. A começar pelos registros de reclamações em órgãos como o PROCON e sites como www.reclameaqui.com.br. Verifique a proporcionalidade das reclamações com o porte e o tempo de existência da empresa. A empresa precisa ter instalações específicas para operar com aparelhos auditivos. A empresa, e o local, precisa ter licença da Vigilância Sanitária para funcionar com aparelhos auditivos. Peça para mostrar a licença, se não tiver afixado. Não raro, empresas nesta área “desaparecem” com certa facilidade. Como a assistência é muito importante, procure empresas bem estruturadas de pelo menos uma década de fundação; e, não aquelas com “experiência” de muitos anos, mas com a empresa aberta há poucos anos. Procure separar o que é virtual do que é real; pois, a Internet pode induzir a equívocos. Veja uma nota fiscal: a empresa precisa ter o endereço do local onde você recebe o aparelho, caso contrário você estará comprando de uma empresa “fantasma” ou de um vendedor autônomo (tipo independente ou ambulante, principalmente se o atendimento é feito apenas por uma pessoa). A coisa mais errada para se ter confiança em uma empresa é se arriscar naquela empresa apelativa, milagrosa; independentemente de ter ou não algum registro de reclamação no mercado.

O aparelho auditivo tem garantia?
Sim, na Audiograma laysom o seu aparelho auditivo tem garantia, e, a assistência técnica é permanente para todas as marcas e modelos. A garantia varia, conforme marca e modelo, normalmente é de um ano. Mas, uma das mais importantes garantias é a confiança do bom acompanhamento e a satisfação do bom atendimento, sempre, e enquanto o aparelho existir, não apenas no período da garantia.

POSSO TOMAR BANHO COM O APARELHO AUDITIVO?
A grande maioria dos aparelhos auditivos não são a prova d’água, caso o seu não seja ele não deve ser molhado como a maioria dos objetos eletrônicos, ele possui circuitos eletrônicos que podem ser danificados com o contato direto a água.

 

DEFEITOS QUE PODEM OCORRER AO MOLHAR O APARELHO AUDITIVO

  • Entrar em curto-circuito e dar perda total no aparelho.
  • Mau contato (ligar somente as vezes).
  • oxidar suporte da pilha.

O QUE FAZER CASO TENHA MOLHADO?

  1. Desligue seu aparelho imediatamente.
  2. Remova a bateria e seque-o cuidadosamente com um pano seco.
  3. Pegue um copo com arroz cru e coloque o aparelho dentro.
  4. Deixe secar por 24 horas, não utilize secador ou aquecedor, isso pode danificar o circuito eletrônico.

AGENDE SUA VISiTA AGORA

mande-nos um e-mail

CLIQUE E ligamos PARA VOCÊ!

whatsapp

Contato via Whatsapp

Olá, nosso atendimento via é feito através do número 2620-2620

Caso esteja visualizando essa página através de um dispositivo móvel e possua o Whatsapp instalado, clique aqui